Não minta para mim

 

O Projeto aborda a vida pessoal, trajetória profissional, desaparecimento súbito e o legado do fotógrafo Tito Ferraz. O trabalho consta de imagens presumidamente de autoria de Tito, álbum de família, perfil no Facebook, fotografias salvas do seu HD, além do inquérito que investiga o seu sumiço e vídeo de entrevista a fotógrafos baianos.

Trata de uma série de estratégias de convencimento público da existência e importância desse personagem que se relacionou por um ano e meio com fotógrafos e pessoas de áreas correlatas através de postagens pelo Facebook (5.000 amigos; pode ser consultado no endereço:  facebook.com/tito.ferraz), mensagens in-box no menseger, participação em manifestações, mostras de fotografias, etc, sem que seus interlocutores soubessem do seu caráter ficcional.

Discute-se aqui o poder das imagens em forjar verdades, testando-as em seus produtores – os próprios fotógrafos, a partir dos ambientes virtuais, onde é usual sua circulação e validação social. Questiona-se os limites da linguagem fotográfica e suas premissas hegemônicas, subvertendo algumas características como a constituição da identidade pessoal, o senso de realidade e a ética visual. Questões contemporâneas como a crise de confiança da imagem e seu contraponto – o poder de persuasão que ainda emana delas, são discutidos e avaliados no decorrer do processo, através dos registros diários em rede social. 

Utiliza-se aqui uma estética relacional, tanto na produção de entrevistas aos fotógrafos que abordam as questões teóricas levantadas no projeto, como no uso dos retratos destes mesmos fotógrafos para compor uma imagem pública de Tito Ferraz.

Todo esse material é unificado a partir de um formato documental, em alusão a um inquérito policial, onde as provas fotográficas são periciadas, testando provas e apontando indícios de fraudes nas imagens dos objetos periciados.

 

1/14

ENGLISH

Don't lie to me

 

The project "Don't lie to me" addresses personal life, professional trajectory, sudden disappearance and the legacy of the photographer Tito Ferraz. This work consists of images presumably authored by Tito, family album, profile on Facebook, photos saved from his HD, in addition to the investigation that checks his disappearance and interview video to Bahian photographers.

It deals with a series of strategies of public persuasion of the existence and importance of this personage that was connected by a year and a half with photographers and people of related areas through postings by Facebook (5.000 friends, that can be consulted in the address: Facebook.com/ Tito.ferraz), in-box messages in the Menseger, participation in manifestations, exhibitions of photographs, etc., without their interlocutors knowing of their fictional feature.

It is discussed the power of images in forging truths, testing them in their producers - the photographers themselves, from the virtual environments, where their circulationrede socioal and social validation are usual. It questions the limits of the photographic language and its hegemonic premises, subverting some characteristics such as the constitution of personal identity, the sense of reality and the visual ethic. Contemporary issues such as the crisis of trust in the image and its counterpoint - the power of persuasion that still emanates from them, are discussed and evaluated in elapsing of the process, through daily registrations in

A relational aesthetic is used here, so much in the production of interviews with the photographers that approach the theoretical questions raised in the project, as in the use of the portraits of these same photographers to compose a public image of Tito Ferraz.

All this material is unified from a documentary format, alluding to a police inquiry, where the photographic proofs is evaluated, testing evidence and pointing indications of frauds in the images of the objects being investigated.

 

Perícia no HD de Tito Ferraz que identificou 43 arquivos salvos

Still de vídeo com HD de Tito Ferraz sendo destruído a marteladas

Máquina fotográfica identificada durante a diligência policial que apurava o desaparecimento do fotógrafo Tito Ferraz

Parte dos 43 retratos salvos do HD de Tito Ferraz

Obra

IMPRESSOS

       Duas publicações em 4 edições únicas       

IMAGENS PARA EXPOSIÇÃO

       128 imagens em diversos formatos e papeis

VÍDEO
       Entrevista com 41 fotógrafos

       Destruição do HD
       Manifesto contra  o Fechamento da Casa das Onze Janelas
INTERNET
       www.facebook.com/tito.ferraz

OBJETOS

       Máquinas fotográficas, HD, Carteira de identidade, passagem       

       aérea, óculos, cartão de memória, chaves, carteira...

Vídeos/áudios/textos/imagens produzidos durante o processo

        475Gb

© PAULOCOQUEIRO / coqueiro.pc@gmail.com      instagram:  paulocoqueiro_       

Retrato: as 167 Célias