Inventários  I

Coisas do pai

 

Neste ensaio, vasculho os signos masculinos assimilados na infância.

Trata-se de uma incursão no universo paterno, na reconstrução de trajetórias, paisagens percorridas, nos afetos, delimitando as referências mais tenras que ficaram em minha formação.

 

O ato fotográfico é aqui uma tentativa de localizar tais signos/coisas para, em seguida, estabelecer estratégias de recuperá-los ou de categorizá-los. Fazem parte de um repertório que é revisitado por um olhar, que não consegue entretanto, capturá-lo de forma precisa. Se algum dia foram valorosos, não tenho mais como mensurá-los hoje, ficaram fugidios.

 

Assim, deliberadamente, essa narrativa reflete que tais signos/coisas compõem um processo de esvaziamento gradativo.

Não se trata de uma atitude nostálgica, esse olhar para trás é muito mais um olhar para dentro, buscando as marcas, os rastros daquilo que não conseguiu subsistir ao tempo de forma tangível e daquilo que precisa ser restaurado.

 

Os inventários são as provas materiais das perdas.

 

 

1/4

ENGLISH

Inventories I

Father's things

 

In this essay I scavenged the masculine signs assimilated in childhood.

It is an incursion into the paternal universe, in the reconstruction of trajectories, landscapes traveled, in the affections, delimiting the more tender references that remained in my formation.

The photographic act here is an attempt to locate such signs / things and then establish strategies to retrieve them or to categorize them. They are part of a repertoire that is revisited by a look, which can not however capture it accurately. If they were ever valiant, I can no longer measure them today, they were fleeting.

Like this, deliberately, this narrative reflects that such signs / things compose a process of gradual emptying.

It is not a nostalgic attitude, this backward glance is much more a look inside, searching for the marks, the traces of what could not persist in time tangibly and what needs to be restored.

Inventories are the material proofs of losses.

 

 

© PAULOCOQUEIRO / coqueiro.pc@gmail.com      instagram:  paulocoqueiro_